17 de out de 2013

Força Sindical alerta para crise profunda na Segurança Pública do Maranhão

     
A crise no sistema prisional em São Luis, marcadas por fugas constantes, rebeliões, mortes violentas de presos nos últimos dias, os frequentes estupros, assaltos e arrastões a ônibus coletivos ocorridos quase diariamente na capital maranhense, os constantes assaltos a bancos, as explosões rotineiras de caixas eletrônicos por todas as regiões do estado e o crescente numero de homicídios e latrocínios em 2013, mostram a vulnerabilidade por que passa o sistema de segurança pública no estado do Maranhão.
            Numa outra ponta, padecendo de falta de segurança no estado, estão os indefesos trabalhadores maranhenses e toda a população em geral, que não estão sabendo a quem recorrer ou pedir socorro. O Aparato Policial, as Autoridades do Sistema de Segurança Pública e o Governo Estadual, parecem meio que sem perspectiva para reduzir a curto prazo, os índices de violência no estado.
            E nesse contexto, de total desequilíbrio institucional, é que o presidente da Força Sindical no Maranhão, Frazão Oliveira está cobrando das autoridades, o combate a crescente onda de violência que assola o Maranhão, com reflexos negativos no dia a dia do trabalhador e pânico na população em geral.
            Frazão Oliveira aponta como uma grave deformação verificada no Sistema de Segurança Pública no Maranhão, a crescente onda de terceirização, implantado no sistema carcerário e penitenciário do estado, em substituição ao preenchimento de vagas por concurso, que seria o caminho correto e adequado.
            “As autoridades do Sistema de Segurança Pública, estão substituindo a qualquer custo no Maranhão, funções que historicamente sempre foram típicas de carreira de estado, por mão de obra precarizada, oriunda do sistema perverso da terceirização” denuncia Frazão, que disse que levará esses fatos ao conhecimento da OIT – Organização Internacional do Trabalho.

Da assessoria. 
Enviado por Eri Santos Castro.
Compartilhe.

Nenhum comentário: