5 de mai de 2017

Machado de Assis é maior que Dickens, Balzac e Eça de Queiroz, diz crítico e escritor espanhol


Escritor e crítico espanhol, Antonio Maura acredita que Joaquim Maria Machado de Assis (1839-1908), o grande gênio da literatura brasileira, não foi devidamente valorizado pela crítica e mereceria ser reconhecido como um dos melhores escritores do século XIX.

"Acho que Machado é um dos grandes nomes do século XIX. Não acredito que se compare nem a [Charles] Dickens, [Honoré de] Balzac, Eça de Queiroz ou ao nosso [Benito Pérez] Galdós. São grandes escritores, mas estão abaixo nos quesitos riqueza, crítica e análise da sociedade e versatilidade. Não chegam aos pés", diz

Sócio correspondente da Academia Brasileira de Letras, Maura está no Cairo para a conferência "El autor y sus máscaras: Una aproximación a Cervantes y Machado de Assis" ("O autor e suas máscaras: Uma aproximação de Cervantes e Machado de Assis)", no Instituto Cervantes local.

Ele afirma que, fora de suas fronteiras, o escritor brasileiro "é um grande desconhecido". Em sua opinião, até mesmo no Brasil os estudos sobre Machado de Assis "não refletiram bem" sua faceta de grande crítico do sistema de sua época e da escravidão.

Para Maura, o cronista e poeta teve que recorrer à ironia para falar "na surdina" de um tema que não podia ser encarado abertamente por ele ser neto de escravos.
Um exemplo disso é "Memórias póstumas de Brás Cubas" (1881). De acordo com Maura, a verdadeira intenção do autor é "colocar o dedo na ferida" da sociedade e para isso se serve de uma sutil alegoria para denunciar que o morto é o próprio Brasil.

A escolha do nome do protagonista, que coincide com o início do nome do país, "não é à toa" para alguém tão "inteligente e cuidadoso com a linguagem" quanto era Machado de Assis. Para Maura, "a crítica brasileira foge" desta interpretação porque "não é fácil aceitar que seu país é um país morto ou esteve morto".

O crítico espanhol defende que as obras que o romancista e dramaturgo escreveu depois de "Memórias póstumas", como "Dom Casmurro" ou "Quincas Borba", são dos livros "mais importantes de sua geração, não apenas do Brasil, mas de todo o mundo".

Segundo ele, alguns autores de língua espanhola, como Jorge Edwards, Julián Ríos e Carlos Fuentes, destacaram a importância de Machado de Assis, mas o mestre brasileiro ainda carece do merecido reconhecimento mundial.

Do G1.
Enviado por Eri Santos Castro.
#Compartilhe


4 de mai de 2017

Na Filândia se incentiva a colaboração e não a competição. A melhor Educação do mundo é pública e não privada

A Finlândia tem a melhor educação do mundo. Lá todas as crianças tem direito ao mesmo ensino, seja o filho do empresário ou o filho do garçom. Todas as escolas são públicas-estatais, eficientes, profissionalizadas. Todos os professores são servidores públicos, ganham bem e são estimulados e reconhecidos. Nas escolas há serviços de saúde e alimentação, tudo gratuito.
Na Finlândia a internet é um direito de todos.
A Finlândia se destaca em tecnologia mais do que os Estados Unidos da América.
Sim, na Finlândia se paga bastante imposto: 50% do PIB.
O país dá um banho nos Estados Unidos da América em matéria de educação e de não corrupção.
Na Finlândia se incentiva a colaboração, e não a competição.
Mas os neoliberais-gerenciais, privatistas, continuam a citar os EUA como modelo.
Difícil o Brasil chegar perto do modelo finlandês? Quase impossível. Mas qual modelo devemos perseguir? Com certeza não pode ser o da privatização.
Veja o seguinte documentário chamado The Finland Phenomenon, imperdível, elaborado por estadunidenses:
Em inglês:
Veja aqui no blogue do Tarso.
Enviado por Eri Santos Castro.
#Compartilhe

Governo do Maranhão abre edital de credenciamento para o São João de Todos 2017

Boi da Maioba, na Praia Grande, São Luís.

O Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Sectur), divulgou o prazo para credenciamento de propostas de atividades artísticas e culturais para o São João de Todos 2017. O edital completo pode ser acessado no site da Sectur (www.sectur.ma.gov.br) na sessão ‘Editais’.

O credenciamento tem por objetivo promover apresentações de shows musicais (com temática junina), apresentações musicais (forró pé de serra), danças regionais e grupos alternativos e manifestações culturais de Salvaguarda do Patrimônio Imaterial (Bumba Meu Boi e Tambor de Crioula).

Os interessados devem entregar suas propostas do dia 8 a 23 de maio, considerando os dias úteis, das 8h às 12h e das 14h às 18h, na sede da Sectur, situada na Rua Portugal, nº 303, Centro, São Luís – MA, CEP 65010-480.

Após a realização das inscrições, serão analisados os documentos de habilitação dos interessados conforme as exigências do edital. A divulgação final do resultado do credenciamento está prevista para o dia 25 de maio. O recurso ao resultado da análise será realizado do dia 26 a 30 de maio.

Da assessoria.
Enviado por Eri Castro.
#Compartilhe

3 de mai de 2017

Babilônia em Chamas- Estuda da FGV: Temer perdeu batalha da comunicação


A “nuvem” de comentários da esquerda no twitter. Fonte: DAPP/FGV


Uma análise das redes sociais elaborada pela Fundação Getúlio Vargas no dia 28 de abril, dia da greve geral, indica que a esquerda está ganhando a disputa narrativa sobre a reforma trabalhista e conseguindo convencer os brasileiros de que ela é sinônimo de perda de direitos. Trata-se de uma importante guinada na narrativa política, dominada pela direita desde 2014, após a vitória da petista Dilma Rousseff na eleição ser questionada pelo candidato derrotado, Aécio Neves, do PSDB.

De acordo com a publicação, o movimento de apoio à greve geral nas redes sociais foi a maior ação da oposição ao governo Temer até agora, com mais de 1,1 milhão de menções relacionadas à paralisação. “O volume faz do evento o maior nas redes dos últimos anos, superando inclusive os maiores atos em favor do impeachment”, entre março de 2015 e março de 2016. Criada pela esquerda, a hashtag #BrasilEmGreve dominou o twitter, com 326 mil menções até as 17 h. Para comparação, a tag da direita, #AGreveFracassou, mesmo utilizando robôs, teve 28 mil menções apenas.

“É possível afirmar que a greve geral inaugura um novo momento na disputa política, em que a oposição ao governo adquire nas redes proporções similares ao movimento que, iniciado em 2015, culminou com o afastamento de Dilma”, diz o relatório elaborado pela Diretoria de Análise de Políticas Públicas da fundação. O mapa de interações nas redes sociais do debate sobre os protestos evidencia, segundo o estudo, que os partidários do governo Temer encontram-se na “defensiva”.

Esta disputa de narrativas também se mostra dissociada da mídia comercial, que está “marginalizada”, sem nenhum perfil de destaque participando do debate. Entre os perfis no twitter que mais se destacaram do lado dos “Vermelhos” estão a Mídia Ninja, o jornalista Xico Sá, a atriz Leandra Leal, o repórter do Intercept George Marques, o perfil de humor progressista Dilma Bolada e a jornalista Cynara Menezes, deste blog. Do lado “Azul” aparecem, bem distanciados em termos de interações, o BlogdoPim, do site da Veja, o perfil de humor reacionário JOAQUINVOLTOU, e o roqueiro Roger, do Ultraje a Rigor.
Fonte: DAPP/FGV
Outra “nuvem”, produzida pelo professor Fabio Malini, do Labic (Laboratório de Estudos de Imagem e Cibercultura) da Universidade Federal do Espírito Santo, mostra com nitidez como os pró-Temer ficaram encurralados nas redes no dia da greve geral: na parte escura, os perfis que defenderam a greve dos trabalhadores contra as reformas e, em amarelo, os que a atacaram.

“Os Vermelhos ganharam a guerra na comunicação ao relacionar as propostas com perdas de direitos. Desorganizados, os Azuis não foram capazes até o momento de demonstrar vantagens das duas propostas (reformas da Previdência e trabalhista) para a sociedade”, diz o texto da FGV. Um ano após o impeachment, o debate em torno da greve geral mostra que “as forças pró e contra o impeachment continuam dominando as discussões nas redes. Os chamados Vermelhos (pró-Dilma e pró-Lula) estavam acossados por meses pelas investigações da Força-Tarefa da Operação Lava-Jato e pela recessão de 2015. A mobilização em torno da greve geral mostra uma inflexão na relação entre Azuis e Vermelhos.”
.
Uma das razões para essa reviravolta acontecer foi o fato de a “lista de Fachin” ter comprovado o que a esquerda dizia: que a corrupção brasileira é sistêmica, está na forma como se faz campanha no país, e por isso atinge políticos de todos os partidos, não apenas do PT. “A inclusão de nomes como o do senador Aécio Neves nas delações tirou dos Azuis a primazia do discurso anticorrupção”, conclui o estudo. 

Confira aqui a íntegra.
Por Cynara Menezes, no blog Socialista Morena
Enviado por Eri Santos Castro.
#Compatilhe

2 de mai de 2017

Cresce no PSDB tese para abandonar o governo Temer. O ex-governador de São Paulo encabeça esse movimento

Cresce no interior do PSDB tese para abandonar o governo Temer. O ex-governador de São Paulo encabeça esse movimento.
Movimento defende volta às origens do partido
Movimento 'Esquerda para valer', que tem entre as lideranças o ex-governador tucano Alberto Goldman, acredita que as reformas do governo Temer…
BRASIL247.COM

Perseguição implacável: Moro entra com novo pedido de prisão do ex-ministro

"Moro persegue Dirceu: nesta 3ª feira, STF julga habeas corpus de Dirceu e Curitiba entra c/ novo pedido de prisão provisório p/ ex-ministro." (Carta Capital)

1 de mai de 2017

Nada justifica atentados à vida. Comunidade indígena de Viana sofre brutal atentado

Ontem (30.04.2017), à tarde, na cidade de Viana, um grupo indígena Gamela foi covardemente e brutalmente atacados por fazendeiros e jagunços. Nada, absolutamente nada, justifica o atentado à VIDA. Veja mensagem encaminhada pelo padre Cláudio Bombieri, do CIMI-Conselho Indiganista Missionário, da igreja Católica.

Toda essa ação bárbara ainda teve a escolta da própria polícia e de veículos de comunicação de massa da região.

"Bom dia.
Dois indígenas feridos em estado grave, cinco vieram para o Socorrão 2, Cidade Operária.
Um deles, Aldeli, levou dois tiros, uma bala está alojada na coluna e a outra na costela, teve as mãos​ decepadas e joelho cortados. O irmão dele, José levou um tiro no peito. Outro teve as mãos decepadas.
Inaldo levou um tiro na cabeça e outro no rosto e no ombro. Inaldo está aguardando o resultado da tomografia, dois foram operados.
Na duas outras retomadas conseguiram passar uma noite razoável.
Agora a nossa necessidade de fazer presente junto a esse povo.
O que houve foi uma incitação de ódio convocada na rádio e com políticos envolvidos que levaram ao ataque aos indígenas.
A situação é muito grave. O Estado precisa ser responsabilizado. Os agressores punidos."


Neste 1º de maio de 2017: FORA TEMER, VOLTA BELCHIOR!

Neste 1º de maio de 2017:
FORA TEMER, VOLTA BELCHIOR!


Belchior morreu. Mas, Belchior não morreu!

Tive a oportunidade de conviver com Berchior, durante um final de semana, quando do encerramento do Fesmap-Festival de Música Pinheirense, no final da década de 90. Um excelente exemplar da espécie humana: terno , humilde e sagaz.
Belchior morreu. Mas, Belchior não morreu. Está eterno nas suas cantigas.
Especial em homenagem ao Belchior no dia do seu aniversário de 70 anos
ESPECIAIS.OPOVO.COM.BR

29 de abr de 2017

O dia em que a Terra parou para falar do Brasil e 3 Verdades sobre a maior Greve Geral da história do país

O dia em que a Terra parou para falar do Brasil  e 3 Verdades sobre a maior Greve Geral da história do país
1- Não foi só a paralização e os protestos contra o fim da aposentadoria e da CLT, a opinião pública do Brasil se consolidou contra o governo entreguista Temer e seus asseclas do PSDB. Os mais fracos e o povo também precisam usar as armas da astúcia e da FORÇA para não serem esmagados;
2- A perseguição a LULA se intensificará em duas frentes: o aceleramento do golpe judicial e o cerco da mídia conservadora. Assim como aumentará consideravemente também a popularidade e a intenção de votos a LULA. O final dessa equação dependerá da continuidade dos movimentos de massa contra essas reformas entreguistas de Temer e PSDB;
3- O trabalhador organizado fez greve, quem não está empregado apoiou a greve, a população apoiou e deu o seu recado de que quer se aposentar antes de morrer e não concorda em rasgar a CLT. Participaram mais de 35 milhões de trabalhadores da Greve Geral. O imprecionante foi a participação espontânea das médias e pequenas cidades. Não pararam só São Paulo, Rio, BH, Curitiba, Porto Alegre, Salvador, Manaus, Belém, Cuiabá, Florianópolis, Fortaleza, Macapá, Rio Branco, São Luís, Palmas, Teresina, Vitoria, Campo Grande, Natal, Aracajú, ABC, Santos, Santarém, Uberaba, ...Pararam também Água Doce(SC), Alecrim (RS), Alto Paraguai (MT), Chupiguaia (RO), Clementina (SP), Gustavo (PR), Pedra Bela (MG), Bacuri (MA)...

Nas redes sociais do mundo inteiro o assunto mais comentado foi a greve geral no Brasil. O mundo não calou o #BrasilEmGreve . Ontem (28.04.2017) foi o dia em que que a Terra parou para falar do Brasil.
A greve geral fortaleceu a luta democrática, e ela vai crescer mais.
Eri Castro