25 de abr de 2017

Flávio Dino, diferente do que acha Haickel, busca a amálgama na política


Fiz a leitura do artigo de Joaquim Haickel e faço estas observações, algumas concordando e outras opondo-me. Estas observações são apenas epígrafes para situar este debate diante da sua protuberância. É uma pequena admoestação aos meus próprios companheiros e companheiras. Portanto, irei elencar 7 breves apontamentos.
1- Flávio, diferente de Sarney que destruiu Vitorino, não aniquilou o grupo Sarney. Do contrário do que Haickel afirma, o governo do Flávio não é beligerante e nem irascível. Muito embora, Flávio emponderou-se de coragem e segue em frente. O seu viço vem do que um dia foi o vigor de Sarney ao derrotar a oligarquia Vitorino: a força das urgências da população maranhenses. O governo de Flávio é disruptivo e por isso mesmo não obnubilará os seus rumos traçados.
Felizmente, a existência do contraditório não é ruim para a democracia. Pelo contrário, melhora a sua qualidade. E até o fator gestão melhora, uma vez que o gestor persegue tempestivamente as devidas correções de caminhos quando necessárias, consolidando uma gestão resiliente.
2- Se Roseana Sarney for candidata assim como Roberto Rocha, Marlon Reis e mais alguns outros e outras, o processo será bom é para o Maranhão. Não havendo disputa é péssimo para a democracia. O debate é vital e natural na democracia. Há teses e antíteses e seguramente sínteses. Isso é uma das condições da dialética.
Do forte embate surgem valorizações das pessoas e compromissos de fazer o melhor para o Maranhão.
Entretanto, a possível candidatura de Roseana não seria um ordálio para ela? Por isso, acho inverossímil essa candidatura. Enquanto, a de Roberto ainda está constrita, mas pode torna-se axial e rediviva.
3- Os melhoramentos da sociedade são possíveis somente pela mediação da política.
O forte embate melhorará todos os atores e a própria política.
A unanimidade fortalece sempre as agruras, reforça equivocos e dificulta melhoramentos.
4- Discordo do Haickel que acha que as insatisfações com o governo Flávio poderão inviabilizá-lo. Flávio venceu às últimas eleições com o povo. Agora ele ganhará também com o povo. Está em curso a construção de um outro Maranhão. A resiliência dos maranhenses se mostra a toda hora.
Os descontentamentos com Flávio estão localizados entre os 'políticos'. No povo isso não procede. Vide a sua taxa de aprovação.
A tendência é ampliar essa aprovação diante da aceleração das ações do seu governo e, diferente do que Haickel afirma, da radicalização da sua própria condição carismática, de empatia e terna de ser.
5- Na hora dos alinhamentos, a grande maioria insatisfeita da tal "classe política" com o governo Flavio ainda ficará com ele, pela força da atração.
6- A correção de erros deve ser um exercício permanente e uma prerrogativa de quem acerta mais. O Governo Flávio percebe isso.
7- Flávio só não será reeleito governador do Maranhão, em 2018, caso o Brasil o convoque para uma missão e assim não ser candidato à sua reeleição. Flávio, diferente do que acha Haickel, busca a amálgama na política. Uma verdade é construída com teses e antíteses e após o embate surgem as sínteses.O governador, diferente do exclusivismo de Sarney e seus métodos positivistas de construir a política, trabalha na permanência e ampliação do PARTIDO DO MARANHÃO. Assevero esta equação recrudescente.

24 de abr de 2017

"Estou pronto. O dia e a hora que o juiz Moro marcar, estarei em Curitiba", disse Lula ainda há pouco



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira (24) que a prova que existe contra ele no caso do tríplex em Guarujá (SP) é “um pedágio” e que está na hora de “parar o falatório” e “provar” que ele recebeu dinheiro de forma ilegal.
Segundo o ex-presidente, seu depoimento ao juiz Sergio Moro, marcado para o próximo mês, servirá para que ele se defenda “pela primeira vez” das acusações que existem contra ele no âmbito da Operação Lava Jato.
“Está na hora de parar o falatório e mostrar prova. A prova que tem contra mim é um pedágio”, disse Lula durante evento do PT em Brasília. “Eu estou com muita vontade de brigar, de fazer a boa briga”, completou o ex-presidente ao indicar que pretende disputar a eleição presidencial de 2018.
Réu em cinco ações penais, o ex-presidente pode se tornar inelegível caso seja condenado em segunda instância.
A declaração pública de Lula ocorre dias após a defesa de Léo Pinheiro, sócio da OAS, entregar à Justiça documentos para tentar comprovar que o petista foi beneficiado pela reforma de um tríplex em Guarujá (SP).
Entre os documentos entregues estão o registro de que dois carros em nome do Instituto Lula passaram pelo sistema automático de cobrança dos pedágios a caminho do Guarujá entre 2011 e 2013. Não há, no entanto, informações que comprovem que as viagens tiveram como destino o apartamento no Edifício Solaris, que Léo Pinheiro diz ser do ex-presidente.
Em discurso de cerca de quarenta minutos para uma plateia de dirigentes e militantes petistas, Lula disse estar “tranquilo” sobre a possibilidade de Moro adiar seu depoimento sobre o tríplex, inicialmente marcado para 3 de maio, e que estará em Curitiba quando o juiz ordenar.
Segundo a reportagem apurou, Moro cogita adiar o depoimento de Lula a pedido da Polícia Federal, mas o ex-presidente ainda não havia sido informado da decisão até o início da noite desta segunda (24).
“Não estou preocupado com a data. A data é do juiz Moro. A hora que ele marcar, estarei em Curitiba”, disse Lula.
“Quero comparecer [ao depoimento em Curitiba] porque é a primeira grande oportunidade que eu não vou ser atacado pelas revistas e televisões. Eu vou ter, de viva voz, o direito de me defender. No meu primeiro depoimento, o horário é meu. Faz três anos que estou ouvindo”, completou o ex-presidente.
Lula afirmou ainda que estão contando “mentiras” contra ele “24 horas por dia” e que não nasceu para “ter medo de lista”, em referência à relação de investigados divulgada na semana passada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), em que o petista aparece ao lado de oito ministros do governo Michel Temer, dezenas de parlamentares, governadores e outros políticos.
“Não nascemos para ter medo de lista, nascemos para provar que eles agora estão criminalizando o que antes não criminalizavam”, disse Lula sem citar diretamente a prática de caixa dois. “Não temos que ter vergonha de sermos políticos. A hora que desmoralizar todo mundo o que vai sobrar nesse país é pior”. 
Com informações da Folhapress.
Enviado por Eri Castro.
#compartilhe

19 de abr de 2017

Babilônia em Chamas: Denúncia do triplex é rejeitada em SP. Só serve para Moro. Por que será?

Uma acusação de 102 páginas contra representantes da empreiteira OAS e da Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop) acaba de ser rejeitada pela Justiça de São Paulo com a absolvição sumária (antes do julgamento do mérito) de todos os réus — incluindo o executivo José Aldemário Pinheiro, sócio da OAS, e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.
denúncia do Ministério Público de São Paulo, que inicialmente incluía o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e familiares, deve ser arquivada por “alegações vagas” e uma série de erros – um dos executivos da OAS, por exemplo, foi acusado de ter praticado crimes em 2009 como representante da empresa, mas só virou funcionário quatro anos depois.
Os promotores Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique de Moraes Araújo anunciaram, em março do ano passado, que várias pessoas à espera da casa própria foram lesadas quando a Bancoop, em crise financeira e presidida na época por Vaccari Neto, transferiu imóveis para a OAS. A empresa foi acusada de diminuir o tamanho da área firmada em contrato e cobrar valores mais altos do que os negociados.
Os autores relacionaram esses problemas com um triplex no Guarujá (litoral paulista) atribuído a Lula. Chegaram até a pedir a prisão preventiva do ex-presidente, mas todo esse trecho acabou sendo retirado e encaminhado ao juiz federal Sergio Fernando Moro, por conexão com a operação “lava jato”.
A juíza Maria Priscilla Veiga Oliveira, da 4ª Vara Criminal de São Paulo, aceitou a denúncia contra 12 acusados em outubro. Nesta terça-feira (18/4), porém, concordou com as defesas e não viu motivo para manter a ação penal em andamento.
Superficialidade
Para a juíza, a denúncia não individualiza as condutas de cada acusado: “apenas afirma, de forma superficial, aquilo que entende como fato gerador dos crimes”, sem “a minúcia necessária, tão somente alegações vagas”.
A decisão diz que o MP-SP considerou estelionato o descumprimento de cláusulas contratuais, quando “o mero inadimplemento constitui ilícito civil, não adentrando na esfera da fraude penal”. Além disso, a transferência dos empreendimentos da Bancoop — considerada irregular — foi acordada pelo próprio Ministério Público numa outra ação civil pública.
Os promotores também incluíram como réus uma advogada da cooperativa, que participou de assembleias exercendo a profissão, e um diretor jurídico da OAS que nem sequer atuou nos empreendimentos citados.
No ano passado, Vaccari já havia sido absolvido em outra ação envolvendo a Bancoop. A defesa de Vaccari foi feita pelo advogado Luiz Flávio Borges D'Urso.
Fatiamento e dano moral
Os promotores entendiam que a denúncia não interferia no trabalho do Ministério Público Federal em Curitiba. A estratégia, no entanto, não deu certo. O juiz Sergio Moro acabou assumindo o trecho contra Lula.
Quando isso ocorreu, Cássio Conserino e Fernando Henrique de Moraes Araújo chegaram a acusar a juíza de ter feito um acordo ilícito para dividir as investigações. O Superior Tribunal de Justiça, porém, reconheceu o fatiamento.
Em março deste ano, eles e o colega José Carlos Blat ganharam o direito de ser indenizados em R$ 90 mil pelo jornal Folha de S.Paulo por uma reportagem publicada na época da denúncia. O texto dizia que, dentre especialistas consultados sobre a peça inicial, alguns classificaram a acusação como “um lixo” e chamaram os promotores de “três patetas”.
Clique aqui para ler a decisão.
0017018-25.2016.8.26.0050
*Notícia alterada às 8h29 do dia 19/4 para correção. A defesa de Vaccari foi feita pelo advogado Luiz Flávio Borges D'Urso e não por Edward Rocha de Carvalho e Leandro Pachani
Do sítio jurídico Conjur, confira aqui!
Enviado por Eri Santos Castro.
#compartilhe

Babilônia em Chamas: “Duro de matar 3” - Lula quanto mais apanha mais cresce. Pesquisa aponta Lula com mais votos do que a soma de todos os seus concorrentes


O único “candidato” capaz de enfrentar Lula, vai ficando cada vez mais claro, é Sérgio Moro.
Está explicado o sumiço das pesquisas eleitorais.
E o recrudescimento das campanhas judiciais.
PS. A íntegra da pesquisa está aqui.
Com o Tijolaço.
Enviado por Eri Santos Castro.
#compartilhe

Babilônia em Chamas: Olha a lista de Fachin indo pra passeata anticorrupção. Enquanto isso, a globo silencia as acusações contra o PSDB-Aécio-Serra-Alckmin e parte para a destruição do PT-Lula


Contabilizam-se mais de 16 horas de Jornal Nacional, nos últimos 12 meses, que a Globo, impiedosamente, tenta desconstruir, ou melhor destruir, o Lula. 30 segundos, em horário nobre, já são uma eternidade, imaginem 16 horas de Jornal Nacional.

Lula está aí firme e forte. Ele pontua mais que o dobro da soma de todos os candidatos e assim ganha às eleições presidenciais, ainda no primeiro turno.

E olha aí a lista do Fachin, toda a cúpula do PSDB, indo para a passeata anticorrupção. A Globo não dar destaque, porque a ordem é destruir e tirar o PT e o Lula da corrida presidencial 2018.

14 de mar de 2017

Depois de Temer, Lula e Dilma vão à Paraíba dia 19

Lula e Dilma na foto de Ricardo Stuckert
Um dia depois da cerimônia com o presidente Michel Temer (PMDB) para a chegada da água da Transposição do Rio São Francisco à Paraíba, o primeiro estado beneficiado pelo projeto, o senador Humberto Costa (PT-PE), líder da oposição no Senado, anunciou neste sábado (11) a data em que o ex-presidente Lula (PT) vai visitar a obra daqui a uma semana, no dia 19 de março. O petista vai com Dilma Rousseff (PT) a Monteiro, a mesma cidade que o peemedebista participou da solenidade nessa sexta-feira (10).

Ao divulgar a data da visita de Lula e Dilma, Humberto Costa afirmou que a obra só saiu do papel por causa dos dois petistas e criticou Temer. “Quando ela foi tirada do poder, mais de 90% da obra já estavam concluídos (segundo dados do Ministério da Integração Nacional em maio do ano passado, no eixo leste eram 84,4%). E agora aqueles que tomaram o poder por meio de um golpe parlamentar querem tirar uma casquinha na obra da Transposição, querem assumir a paternidade dessa obra”, afirmou o senador.
A obra no eixo leste começou em 2007, no segundo mandato de Lula, com o objetivo de ser entregue três anos depois. Ao todo, foram investidos até agora mais de R$ 8 bilhões.
O eixo leste capta água do São Francisco em Floresta, no Sertão pernambucano, e passa por 217 quilômetros de canais até chegar ao açude de Poções, em Monteiro, onde 33 mil pessoas devem ser beneficiadas. De lá, vai pelo Rio Paraíba até Campina Grande, para atender mais 400 mil pessoas. Ato todo, o objetivo é de levar água às torneiras de 12 milhões de nordestinos – além de Pernambuco e Paraíba, no Ceará e no Rio Grande do Norte.
O problema é que nesses dois estados é o eixo norte que passa e o trecho tem obras paradas desde junho, quando a Mendes Júnior, envolvida na Operação Lava Jato, abandonou o canteiro.
Apesar de boa parte do canal passar em Pernambuco, só 35 mil pessoas devem ser beneficiadas inicialmente. É que a única cidade que tem formas de levar a água ate as torneiras é Sertânia, no Sertão – o município onde fica o reservatório de Barreiros, que teve um vazamento na semana passada. Os outros precisam de obras complementares como o Ramal e a Adutora do Agreste, a primeira que sequer começou a sair do papel e a segunda atrasada por insuficiência de repasses de verbas federais desde 2014.

Uma obra, vários pais

A chegada da água a Sertânia, no último dia 24, foi marcada por uma visita de Helder Barbalho com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). Através da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), o tucano, que tem planos de se candidatar à presidência, cedeu bombas para o projeto. Alckmin é só um dos nomes que usam a estratégia de ficar ligados à transposição.
Outro é o próprio Temer. Com baixa popularidade – a avaliação positiva do governo baixou para 10,3% na última pesquisa CNT/MDA, divulgada em fevereiro -, a conclusão da transposição é usada pelo peemedebista para tentar alavancar a imagem positiva no Nordeste, que tem áreas atingidas pela seca há mais de cinco anos.

De olho na movimentação dos dois, o ex-presidente Lula (PT) tem investido na comunicação e na militância para também se aproximar da obra, iniciada em 2007, no seu segundo mandato. A transposição era esperada desde o período do Império e foi promessa dos presidentes anteriores ao petista. 

Por Amanda Miranda, Folha.
Enviado por Eri Santos Castro.
#copartilhe


2 de mar de 2017

8 de Março: Mulheres e Revoluções



8 de Março: de 1917 a 2017
                                                
                                                 Mulheres 
                                    Revoluções
Substantivos gêneros femininos

1 de mar de 2017

Veja o 1º ato concreto da candidatura Lula Presidente 2018

Intelectuais lançam manifesto pela candidatura de Lula em 2018

Documento estará disponível para adesão geral a partir de segunda-feira (6). Já assinaram o manifesto Leonardo Boff, Chico Buarque, Marieta Severo, entre outros.






Numa iniciativa que responde à escolha que milhões de brasileiros manifestam com clareza sempre que lhe perguntam quem deve governar o país, o lançamento da candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República começa a tomar forma e conteúdo.A partir de segunda-feira (6), todo cidadão brasileiro será convidado a colocar seu nome, através de uma plataforma aberta na internet, a um abaixo assinado que solicita a Lula considerar “a possibilidade de, desde já, lançar sua candidatura a Presidência da República como forma de garantir ao povo brasileiro a dignidade, o orgulho e a autonomia que perderam.”
“O Brasil precisa de Lula,” diz o documento, lembrando que ele assegurou ” significado substantivo e autêntico à democracia brasileira. Descobrimos, então, que não há democracia na fome, na ausência de participação política efetiva, sem educação e saúde de qualidade, sem habitação digna, enfim, sem inclusão social.” (Leia a íntegra do documento abaixo).
Na fase inicial, o abaixo assinado já recebeu a adesão inicial de cinco centenas de cidadãos engajados na luta pela democracia, intelectuais e lideranças da sociedade civil. Leonardo Boff é a assinatura número 1, o jornalista e escritor Fernando de Morais comparece com a número 2, o ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão é a número 6, Chico Buarque é a 9. O líder do MST, João Pedro Stédile é a número 10 e o jurista Fábio Konder Comparato a 11.
O documento, que deve ser anunciado e debatido em eventos com a presença do próprio Lula marcados que para as próximas semanas, é uma iniciativa de intelectuais e personalidades reconhecidos por seu engajamento na luta pela democracia, a começar por Leonardo Boff. Também participaram o jornalista Eric Nepomuceno, dois juristas da PUC do Rio de Janeiro, Gisele Cittadino e João Ricardo Dornelles, e também Carol Proner, da UFRJ.
Eis o Manifesto: 
“CARTA DAS(OS) BRASILEIRAS(OS)
Por que Lula?
É o compromisso com o Estado Democrático de Direito, com a defesa da soberania brasileira e de todos os direitos já conquistados pelo povo desse País, que nos faz, através desse documento, solicitar ao ex-Presidente Luiz Inácio LULA da Silva que considere a possibilidade de, desde já, lançar a sua candidatura à Presidência da República no próximo ano, como forma de garantir ao povo brasileiro a dignidade, o orgulho e a autonomia que perderam.
Foi um trabalhador, filho da pobreza nordestina, que assumiu, alguns anos atrás, a Presidência da República e deu significado substantivo e autêntico à democracia brasileira. Descobrimos, então, que não há democracia na fome, na ausência de participação política efetiva, sem educação e saúde de qualidade, sem habitação digna, enfim, sem inclusão social. Aprendemos que não é democrática a sociedade que separa seus cidadãos em diferentes categorias.
Por que Lula? Porque ainda é preciso incluir muita gente e reincluir aqueles que foram banidos outra vez; porque é fundamental para o futuro do Brasil assegurar a soberania sobre o pré-sal, suas terras, sua água, suas riquezas; porque o País deve voltar a ter um papel ativo no cenário internacional; porque é importante distribuir com todos os brasileiros aquilo que os brasileiros produzem. O Brasil precisa de Lula!
1. Leonardo Boff – Teólogo e Escritor
2. Fernando de Morais – Jornalista e Escritor
3. Eric Nepomuceno – Escritor
4. Leonardo Isaac Yarochewsky – Advogado e Doutor pela UFMG
5. Gisele Cittadino – Professora do Programa de Pós-Graduação em Direito da PUC-Rio
6. Eugenio Aragão – ex-Ministro da Justiça, Professor da Faculdade de Direito da UnB e Advogado
7. João Ricardo Wanderley Dornelles – Professor do Programa de Pós-Graduação em Direito da PUC-Rio; ex-Membro da Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro
8. Carol Proner – Professora da Faculdade Nacional de Direito – UFRJ
9. Chico Buarque – Músico
10. João Pedro Stédile – Ativista Social, do MST e da Via Campesina
11. Fábio Konder Comparato – Escritor, Advogado, Jurista, Professor Emérito da USP
12. Beatriz Vargas Ramos – Professora da Faculdade de Direito da UnB
13. Luiz Fernando Lobo – Artista
14. Marcelo Neves – Professor de Direito Constitucional da UnB
15. Francisco Celso Calmon Ferreira da Silva – Advogado, Administrador e analista de TI
16. Regina Zappa – Escritora e Jornalista
17. Emir Sader – Cientista Político
18. Marieta Severo – Atriz
19. Aderbal Freire Filho – Diretor de Teatro, TV
20. Beth Carvalho – Cantora
21. Martinho da Vila – Compositor e Cantor
22. Bete Mendes – Atriz
23. Sergio Mamberti – Ator
24. Amir Haddad – Diretor de Teatro
25. Tássia Camargo – Atriz
26. Bemvindo Sequeira – Ator, Rio de Janeiro
27. Doia Sequeira – Produtora Cultural, Rio de Janeiro
28. Dira Paes – Atriz
29. Osmar Prado – Ator
30. Márcia Miranda Boff – Educadora Popular; Consultora do CDDH de Petrópolis
31. Chico Diaz – Ator
32. Silvia Buarque – Atriz
33. Inez Viana – Atriz e Diretora de Teatro
34. Tuca Moraes – Atriz e Produtora Cultural
35. Sergio Ricardo – Compositor
36. Tomaz Miranda – Músico, Rio de Janeiro
37. Cristina Pereira – Atriz
38. Denise Assis – Jornalista
39. Ennio Candotti – Fisico, ex-Presidente da SBPC
40. Otávio Velho – Antropólogo, Presidente de Honra da SBPC
41. Ricardo Franco Pinto – Advogado junto ao Tribunal Penal Internacional; Doutor em Sociologia
42. Mirna Portella – Escritora, Rio de Janeiro
43. Graça Lago – Jornalista
44. André Diniz – Compositor e Sambista da Vila Isabel
45. Roberto A. R. de Aguiar – Professor e ex-Reitor da UnB
46. Ladislau Dowbor – Professor, PUC-SP
47. Marta Skinner – Economista; professora aposentada da FCE/UERJ
48. Flávio Alves Martins – Diretor da Faculdade Nacional de Direito/UFRJ
49. Paulo Moreira Leite – Jornalista e Escritor.
50. Malu Valle – Atriz
51. Luciana Paolozzi – Diretora de TV
52. Eliane Costa – Produtora Cultural
53. Veríssimo Júnior – Diretor de Teatro
54. José Carlos Moreira da Silva Filho – Professor da Escola de Direito da PUCRS / Ex-Vice-Presidente da Comissão de Anistia
55. Magda Biavaschi – Desembargadora aposentada do TRT 4, pesquisadora CESIT/IE/UNICAMP
56. Caique Botkay – Compositor e Gestor Cultural
57. Ivan Sugahara – Diretor de Teatro
58. Ivan Consenza de Souza – Programador Visual
59. Monica Biel – Atriz
60. Moacir Chaves – Diretor de Teatro
61. Marta Moreira Lima – Atriz e Cantora
62. Patrícia Melo – Produtora Cultural
63. Gabriela Carneiro da Cunha – Atriz
64. Ângela Rebello – Atriz
65. Jitman Vibranovski – Ator
66. Carlos Alberto Mattos – Crítico de Cinema
67. Eryk Rocha – Cineasta
68. Flora Sussekind – Ensaísta
69. Marcus Caffé – Cantor e Compositor
70. Vinicius Reis- Cineasta
71. Janaína Diniz – Atriz
72. Ricardo Resende – Professor Universitário e Padre
73. Rioco Kayano – Artista plástico
74. Otávio Bezerra – Cineasta
75. Wilson Ramos Filho – Doutor, Professor da UFPR, Presidente do Instituto Defesa da Classe Trabalhadora – DECLATRA
76. João das Neves – Diretor teatral.
77. Jair Antonio Alves – Artista de Teatro, fundador da Cooperativa Paulista de Teatro e Dramaturgo.
Veja a lista completa dos pensadores brasileiros em apoio a Lula, clicando abaixo:

Campanha da Fraternidade: Biomas Brasileiros e a Defesa da Vida- Cultivar e Guardar a Criação

Como filhos e filhas do Criador, unamos nossas orações pela Criação:
ORAÇÃO DA CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017
Deus, nosso Pai e Senhor,
nós vos louvamos e bendizemos,

por vossa infinita bondade.
Criastes o universo com sabedoria
e o entregastes em nossas frágeis mãos
para que dele cuidemos com carinho e amor.
Ajudai-nos a ser responsáveis e zelosos pela
Casa Comum.
Cresça, em nosso imenso Brasil,
o desejo e o empenho de cuidar mais e mais
da vida das pessoas,
e da beleza e riqueza da criação,
alimentando o sonho do novo céu e da nova terra
que prometestes.
Amém!

O Carnaval em 8 clic´s: a participação cidadã e a alegria

Fiz um itinerário, no Carnaval, por várias cidades do Maranhão. Combinando o lúdico com diálogos sobre a conquista, em definitivo, da felicidades para todos os brasileiros que vivemos neste pedaço de chão. Obrigado pela recepção aos amigos e amigas: Dep Waldir Maranhão, Dr Almir Coelho e sua companheira prefeita de Vitória Dídima, ao vice-prefeito de Arari Álvaro Jardim e sua companheira, ao vereador de São Luís César Bombeiro, sua esposa Débora e seu irmão presidente do Sindicato dos Funcionários Públicos Estaduais Clenaldo Bill que nos receberam em Viana, ao prefeito de Viana Magrado,  ao prefeito de Penalva Ronildo e a ex-prefeita Zaca Gama, ao egn Chicão, Machadinho, Augusto Bastos, ex-deputado Luís Pedro (PCdoB), Luís Comerciário e sua companheira Sílvia, Bruno, Cládia da Auto-Placas, Francivaldo Coelho, o presidente da UNEP-União dos Prefeitos e Ex-Prefeitos Raimundo Filho, Dr Marco Antônio e sua companheira Jaquelinhe, o vice presidente da UEE-MA (União Estadual dos Estudantes) Henrique e na minha querida cidade de Pinheiro o Pe Risso, prefeito Luciano e sua companheira Taisa, ex-deputado Zé Genésio, Fred Lobato, Rosa, Rogério, Binê, Lauro, Ozanildo, Regina, Lielson, Aldemira, Duda, Paulo, Murilo, Palavra, Coqueiro, Ronald, Ribinha, Zezinho de Tarso, Vilson, Felipe Sodré, Dr Jander, Nivaldo, Edmilson, Nésio, Elizeu de Tantam, prof Ubirajara,... e muitos outras e outros amigos.
Em Viana agora com Cesar Bombeiro, nossa candidata a presidenta do PT Municipal Débora, Eri Castro e Luís Comerciario.
Em Arari com o vice-prefeito Álvaro Jardim, o presidente da União Nacional de Prefeitos e Ex-prefeitos Raimundo Filho, o Dep Federal Waldir Maranhão, o publicitário Eri Castro e os amigos Christopher ...
Em Frente...

O presidente da União Nacional dos Prefeitos e Ex-prefeitos Raimundo Filho, a ex-prefeita Zeca Gama, o Dep Federal Waldir Maranhão, o prefeito de Penalva Ronildo e Eri Castro. 
Agora em Penalva.

Eri Castro, o prefeito Luciano, o ex-deputado Ze Gênesio e Rildo Rodrigues, em  Pinheiro.

Em Viana me deparo com o meu concorrente nas eleições para presidente do PT, o deputado Zé Inácio e mais Bruno Cacau e Luís Comerciários. PT forte é PT unido!

Agora em Vitória do Mearim com Fauzi da Tribo de Jah , o dep federal Waldir Maranhao, o ex-deputado Luís Pedro( PCdoB), Dr Almir Coelho ( companheiro da prefeita DIDIMA Coelho), o presidente da União Nacional dos Prefeitos e Ex-Prefeitos Raimundo Filho, o engenheiro e secretário Chicao do PT e outros amigos...

Hamilton e esposa, Eri Castro e Irene, a prefeita Didima e Dr Almir Coelho. Em Vitória do Mearim.

Já no Carnaval de São Luís, Eri Castro com Nerielmo, Silvino, Genivaldo e Heluy.