21 de abr de 2014

O que é ser mãe na Escandinávia

Uma estrangeira radicada na Noruega faz um relato sobre isso.
maenorueg

Uma das causas fundamentais do Diário é uma sociedade justa. A Escandinávia é um exemplo disso. O texto abaixo, publicado originalmente no blog de uma francesa radicada na Noruega, é uma pequena amostra do inspirador avanço social escandinavo.

Primeiro você deve saber que a família e maternidade são valores muito elevados na sociedade norueguesa. Natural de outro país, a França, isso é muito claro para mim.
As crianças são realmente priorizadas na Noruega. Há um dia do ano em que isto é extremamente óbvio: 17 de maio. Nesta data, que é o Dia Nacional da Noruega,  as crianças desfilam na rua.

Em Oslo, você vai ver um enorme desfile de crianças: cada escola leva todos os seus alunos para a comemoração. As crianças andam pelas ruas cantando e rindo.

Na França, em nosso Dia Nacional, 14 de Julho, tropas militares desfilam pelas ruas. Para mim, a maneira dos noruegueses de celebrar seu dia nacional mostra que as crianças são a prioridade de sua sociedade e da nação.

As crianças desfilam no Dia Nacional da Noruega
As crianças desfilam no Dia Nacional da Noruega

A licença maternidade na Noruega é uma demonstração disso também. Aqui está aquilo a que uma mãe norueguesa faz jus, ao ter um bebê:

- Licença maternidade, com salário de 100%, durante 46-47 semanas (11 meses), ou salário de 80% durante 56 semanas. (O pai tem direito a 10 semanas de afastamento para ajudar a cuidar do bebê.)

- Após a licença, você volta para a sua posição, sem qualquer problema. Sua posição é garantida.
Além disso, um subsídio do governo é oferecido às mães que  decidem ficar em casa com a criança até que ela complete dois anos de idade.

Outra coisa boa é que na Noruega nenhuma mulher é obrigada a ficar em casa para cuidar de seus filhos por não poder arcar com uma creche. O governo subsidia as creches. 

Como a semana de trabalho padrão é 37,5 horas, a mãe pode facilmente continuar sua carreira.

Não sabia sobre isso até me mudar para a Noruega. Agora me sinto bem. Se eu tiver um bebê aqui, serei capaz de cuidar dele e de manter minha carreira, se eu quiser fazer isso.
Estou curiosa para saber sobre como é a licença de maternidade no seu país. O que você acha do modelo norueguês?

Com O Diário do Centro do Mundo.
Enviado por Eri Santos Castro.
Compartilhe.

Nenhum comentário: