1 de abr de 2014

Drª Clay Lago lança nota condenando impunidade dos torturadores da ditadura militar

NOTA SOBRE OS 50 ANOS DO GOLPE DE 1964
1. O INSTITUTO JACKSON LAGO, na oportunidade que o Golpe de 31 de março de 1964 completa 50 anos, manifesta sua irrestrita defesa da democracia e da república como as formas mais avançadas inventadas até hoje para a mediação política dos conflitos e necessidades humanas em sociedade.
2. A Ditadura Militar de 1964, transcorridas mais de duas décadas desde a redemocratização de 1985, legou-nos um desafio permanente – convencer as atuais gerações e as gerações vindouras de que é pela convivência entre diferentes que chegamos a patamares civilizacionais superiores, nunca pela supressão do outro e menos ainda pela imposição de um pensamento único, à direita ou à esquerda.
3. Esse desafio se torna mais complexo em um contexto de fragilidade das instituições políticas e judiciais, corrupção dos agentes públicos, patrimonialismo, prevalência de oligarquias, péssimos serviços públicos e cidadania em restrição apesar dos protestos generalizados.
4. A proliferação de um pensamento conservador entre as gerações mais novas, fazendo-as ignorar a violência, a censura, os assassinatos, estupros e desaparecimentos ocorridos durante a Ditadura Militar de 1964, aponta que tanto as organizações da sociedade civil, quanto às instituições de ensino, não têm conseguido exercer um papel de educação política.
5. O INSTITUTO JACKSON LAGO, atento a esse desafio, desenvolve em suas atividades programáticas um trabalho permanente de educação política tendo como princípio norteador, a defesa da democracia, dos valores e das práticas democráticas. Entendemos que esse é o caminho mais fecundo a seguir, sempre.

São Luís, 31 de março de 2014.
Clay Lago
Presidente do Instituto Jackson Lago

Um comentário:

Farol Conservador disse...

Um comedor de verba estatal, assim como todos estes institutos, só tem que falar mal da ditadura. Estes vadios socialistas que minam os bastidores das estatais e dilapidam o dinheiro dos impostos com aparência de caridade, só tem mesmo é que defender quem o enriquece, ou seja, este governo ladrão e corruPTo.