30 de abr de 2015

O 'Bazar Filosófico' de Mayron Reis no silêncio da Chapada

"Bazar Filosofico" ou o que restou de silêncio na Chapada
A realidade reserva muitas surpresas em sua “rua de mão única” (Walter Benjamin). Ernst Bloch comparou “Rua de mão única”, de Walter Benjamin, a um “bazar filosófico”. Não se deve pensar “bazar filosófico” como um lugar onde se comercializaria pensamentos filosóficos variados e sim num lugar onde se depararia com pensamentos filosóficos variados.  

Em conversas com Vicente de Paula, agricultor familiar de Carrancas, município de Buriti, Baixo Parnaíba, depara-se com vários pensamentos que podem ser divididos em filosóficos, econômicos, históricos, sociais e ambientais.  Passava-se a maior parte do tempo em silencio. Quanto restou de silencio? O que restou dá para plantar e depois colher? As pessoas se calam para escutarem e verem o que ou quem vem por aí. 

À noite quase não se escuta e quase não se vê a Chapada. 

Mayron Régis

Nenhum comentário: