5 de mar de 2015

Do Maranhão para o Brasil: O PT pode mais!

Do Maranhão para o Brasil: O PT pode mais!
Carta do coletivo ‘Novo PT” ao Encontro Nacional da
 “Mensagem ao Partido”, Brasília-DF, 5 e 6 de março de 2015.

O Brasil em ebulição: oportunidade para avançar e jamais recuar. O PT PODE MAIS!
Por um Novo PT construindo uma Frente Ampla, a partir dos partidos de esquerda com a vitalidade dos movimentos sociais e não com as oligarquias regionais e setores reacionários que são antagônicos ao nosso projeto de Brasil.


O melhor caminho para defender os governos do PT consiste em esclarecer todas as denúncias, punir todos os culpados com prisão, garantir uma gestão eficiente e honesta e deixar de usá-la para fins políticos, seja para a partilha de poder e de espaços entre partidos. O Brasil pode estar sob ataque de interesses de diversos grupos especuladores capitalistas. Mas, a sua frágil saúde econômica se deve a uma política muito tímida de distribuição de renda e a consequente não taxação das grandes fortunas, impedindo a modernização e qualificação dos nossos setores produtivos e serviços.

Petistas maranhenses REBELADOS ( Mensagem, Movimento PT, Articulação de Esquerda, Independentes e a grande maioria da militância influenciada pela CNB-Sindical) tem dado a sua contribuição ao Brasil ao derrotar a oligarquia mais longeva, em atividade, do mundo: a oligarquia Sarney-Lobão. Aqui, nós não nos submetemos ao entendimento da maioria da Direção Nacional do nosso partido, de fazer aliança com o atraso. Não obstante ao fator legal de coligarmos com o PMDB e o DEM, acompanhamos a grande maioria dos maranhenses (mais de 70% da população) que elegeu Flávio Dino (PCdoB) governador do Maranhão, no primeiro turno. 

A história confirmou nossa assertiva desde longe e agora temos de construir um novo bloco histórico com essas forças políticas rebeldes, para pactuar uma nova maioria no PT, reparando desvios éticos e o seu esvaziamento ideológico, e na sociedade maranhense.

Assim sendo, PT e Governo Federal precisam fazer um esforço hercúleo para se reinventarem, se legitimarem, se reformularem programaticamente e MORALMENTE, buscando unir o país em nome da esperança da solução dos imensos problemas do agora e já, sinalizando para a construção permanente de uma sociedade com homens e mulheres socialmente  iguais, humanamente distintos e totalmente desimpedidos. Mas, para isso o PT e o Governo precisam reconhecer os seus erros e somente assim superá-los.

O PT e o Governo precisam enxergar que através dos oligopólios de comunicação, uma ampla coalizão política de direita, vinculada a partidos e instituições conservadoras da sociedade civil, procura desconstruir a vitória do campo popular e impor a agenda derrotada nas urnas, no ano passado. É a luta contra o desenvolvimento econômico e social, em favor de um crescimento econômico seletivo e elitista.

“Auateridade” é o nome do novo período de expropriação do mundo do trabalho e dos setores médios, que o capital financeiro quer radicalizar no país. É a plataforma que seria implementada, caso o PSDB-DEM e seus aliados ganhassem às eleições. Perderam a eleição democrática, mas querem implementar a agenda derrotada. Essa pressão se expressa na grande mídia internacional e nacional, através de uma campanha ao estilo ‘pensamento único’, buscando um ajuste fiscal recessivo, com o aprofundamento da queda da atividade econômica e com a ‘volta atrás’ em conquistas fundamentais, como o novo papel dos bancos públicos, somando ao sucateamento de direitos sociais conquistados nos governos Lula e Dilma.

No cenário internacional incomoda a posição do Brasil de construção do BRICS- Brasil, Rússia,  Índia, China e África do Sul- como alternativa econômica mundial em contraposição ao poderio dos EUA e seus aliados na Europa e Oriente Médio. A mais recente crise do capitalismo internacional, deflagrada em 2008, continua cobrando um alto preço da classe trabalhadora. Portanto, é importantíssimo a construção desse contraponto.

Na América Latina, os governos do Brasil, Venezuela, Argentina, Uruguai, Bolívia e Equador, nos últimos 10 anos, têm empenhado esforços para a adoção de espaços de integração política, econômica e social, independentes das garras do imperialismo estadunidense. Exemplos deste esforço são a UNASUL (União de Nações Sul Americanas) e a CELAC (Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos). Entretanto, ainda existem no nosso continente governos alinhados ao neoliberalismo e ao imperialismo estadunidense, como México, Colômbia e Paraguai.

O capitalismo perde cada vez mais a capacidade de iludir os trabalhadores. O “sonho americano” acabou. Com a crise contínua do capitalismo, a desigualdade tem aumentado, os ricos têm ficado mais ricos – com a indispensável ajuda do Estado – e os pobres, mais pobres. O Brasil está nesse furacão e o PT e o Governo precisam dar respostas fortes e urgentes. Essa crise é a nossa oportunidade de formalizar-institucionalizar as conquistas sociais e avançar rumo a coletivização da terra, da água, dos meios de produção...de todas as nossas riquezas. Afinal nosso papel é maquiar o monstro ou governar para os trabalhadores?

Com nossas bandeiras nas ruas, ninguém pode nos calar. Avante!

1-Não à recessão. Redução das desigualdades sociais com a continuidade das políticas de transferência de renda e de valorização do Salário Mínimo;
2-Não à regressão social-liberal dos anos FHC. Nenhum passo atrás, PSDB nunca mais. Radicalizar a disputa de hegemonia na sociedade com a democratização do ESTADO e a consolidação de um modelo econômico sustentável de inclusão e não excludente;
3-Punição com prisão de todos os envolvidos com corrupção; Por uma Constituinte exclusiva e soberana para Reforma Política, com o fim do abuso do poder econômico nas campanhas eleitorais;
4-Criação da CLS- CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS SOCIAIS-, tornando políticas de Estado as conquistas sociais dos governos Lula e Dilma;
5-Fortalecimento dos bancos públicos com suspenção e auditoria das dívidas interna e externa brasileira;
6-Pela imediata repatriação de todo dinheiro depositado em bancos internacionais de origem da corrupção e da sonegação de impostos para aplicação em educação, saúde, ciência, tecnologia e mobilidade urbana;
7-Pela imediata criação de uma Frente Ampla de defesa do nosso projeto de Brasil, a partir dos partidos de esquerda com a necessária revitalização dos movimentos sociais;
8-Radicalização da política externa brasileira de construção dos BRICS como bloco econômico alternativo mundial;
9-Reforma tributária já com a taxação das grandes fortunas; desonerar a cesta básica; incentivar a formalização do trabalho; aperfeiçoar a distribuição de recursos no chamado Pacto Federativo; incentivar o investimento produtivo; recuperar a capacidade de investimento do Estado nas áreas sociais e de infraestrutura; combater a fraude e a sonegação.
10-Educação, Saúde e transportes públicos e de qualidades;
11-Ampliação da Reforma Agrária com o fortalecimento da agricultura familiar em detrimento do agronegócio; democratização do acesso à propriedade da terra, altamente concentrada nas mãos de latifundiários e empresas multinacionais;
12-Fim dos oligopólios e democratização da comunicação. Banda Larga gratuita para todos. Esse paradigma da comunicação, voltado para o lucro e a serviço da manipulação política, precisa ser quebrado;
13-Democratização do poder judiciário com controle externo;
14-Erradicação do trabalho escravo e infantil;
15-Punição aos crimes da ditadura militar e a devida reparação moral e financeira aos trabalhadores e trabalhadoras perseguidos pela ditadura militar; o reconhecimento dos trabalhadores assassinados, desaparecidos forçosamente, presos, torturados, cassados e que sofreram perseguições como lutadores sociais do povo brasileiro.

AVANTE BRASIL!!!

Delegados(as) do coletivo ‘Novo PT” ao Encontro Nacional da Mensagem.
1-Eri Castro- Membro do Diretório Estadual do PT-MA;
2-César Bombeiro- Executiva PT-São Luís e suplente de vereador;
3-Ribamar do PT- Presidente do PT de Paço do Lumiar;
4-Alcidinho- Ex-candidato a prefeito de Primeira Cruz;
5-Moacir Santos- Executiva da CUT-MA;
6-Darlúcia Sá- Membro DM-PT-São Luís;
7-Luis Comerciário- Diretor Sindicato dos Comerciários;
8-Junior Esperança- Ex-candidato a prefeito de São Bernardo;
9-Paulo Montanha- Presidente do Sindicato das Empresas de Turismo-MA;
10-Eduardo – Dirigente do Movimento Negro;
11-Mariano- Ex-vereador de Imperatriz;
12-Ronald Coqueiro- Suplente de vereador de Pinheiro;
13-Voney- Ex-candidato a prefeito da Raposa;
14-Domingos Arakém-Prefeito de Alcântara;
15-Ditola- suplente de Vereador de Imperatriz;
16-Neeuto Simão-Vereador e presidente do PT-Davinopolis;
17- Adalberto- Prefeito de Belagua;
18-Adão Carneiro- Prefeito de São Francisco do Brejão;
19- Débora- Membro do Diretório Municipal do PT-São Luís;
20-Robson- Membro do Diretório Municipal do PT-São Luís.

Nenhum comentário: