18 de jul de 2014

O cartaz e a segunda carta eleitoral de Igor Lago


Segunda carta eleitoral(Democracia e partidos políticos)

Amiga e amigo,

Com 25 anos de plena democracia a sociedade brasileira nunca esteve tão distante de seus representantes e vice-versa.
O eleito, na sua maioria, está bem longe dos anseios e aspirações do eleitor.
Claro que temos exceções mas, a cada eleição, estas se tornam cada vez mais raras.
Talvez, uma das causas para tal situação seja o fato de nossos partidos políticos serem considerados instituições privadas (financiadas com dinheiro público!) sem regras gerais que determinem, por exemplo, o seu funcionamento baseado nos princípios democráticos de eleições diretas de seus dirigentes, com mandatos limitados a 2 anos e com direito a somente uma reeleição; de gestão transparente dos recursos partidários e obrigatória exposição dos mesmos na internet, etc).
Se não são democráticos como podem bem representar os anseios e interesses da sociedade?
Pior é que o recente fim da cláusula de barreira - uma exigência mínima de percentual de votos no país para a existência dos partidos políticos - resultou no surgimento de 33 partidos que parecem, em sua grande maioria, instâncias empresariais a negociar candidaturas, tempo de televisão e rádio.
Se uma das atribuições de um deputado federal é a de debater, elaborar ou fazer funcionar leis, não é difícil aceitar que precisamos de uma que democratize ainda mais o nosso sistema político, começando pela discussão da natureza de nossos partidos, para que a distância entre o eleito e o eleitor diminua ou deixe de existir.
A Política, a boa política, a da ética, baseada nos valores do trabalho e da democracia, precisa ser resgatada pela sociedade, com a sociedade e para a sociedade!
Jackson vive...
Igor Lago

Nenhum comentário: