27 de dez de 2013

O Maranhão é um Estado pobre, muito pobre, muito pobre... Sarney plantou uma semente de pobreza no Estado


HS, direto de Upaon-açu
No Maranhão havia boas Escolas Públicas, com a marca maior para o tradicional Liceu Maranhense. Essa importante dedicação ao ensino público foi até o final do governo Newton Belo. 

Com a posse do Sarney, um intelectual, um poeta, de contos lindos e poesia belas, ele - o Sarney - preferiu, com Cabral Marques, massificar o ensino, implantando o CEMA, o que, realmente, não era tão ruim assim; porém, esqueceu a qualidade no ensino e preferiu a propaganda fácil. O Liceu foi praticamente abandonado, assim como toda a estrutura do ensino de qualidade. 

Surgiu o Orientador de Aprendizagem no lugar do professor de sala de aula... Tudo era na telinha... O ensino caiu de qualidade. O governo Sarney brincou com a Educação: matou a Educação.
O Governo Sarney não investiu como deveria na produção, esqueceu o homem do campo; abriu ainda muito mais as portas do estado para a grilagem... O latifúndio fortaleceu-se... São Luís era um dos grandes produtores de frutas e verduras... A Maioba, grande centro produtor, perdeu força...
O Sarney não tinha uma política ambientalista: nossos rios morreram - ou ainda estão morrendo!
Sarney preocupou-se com os mais fortes; esqueceu-se dos mais pobres. A SUDEMA (Superintendência de Desenvolvimento Estadual do Maranhão), por ele criada, foi mais para os ricos; nunca para os pobres. O Maranhão foi perdendo a sua riqueza; e uma nova elite ergue-se com todo poder, força e dinheiro nesta terra nossa...
Surgem então os grande conflitos sociais. 

A nossa produção do campo desaparece, até o bacuri ficou difícil de ser cultivado... A cultura do babaçu sofreu... O nosso arroz não era mais produzido como antes...
Mas Sarney era e é o Rei!... Este é o Maranhão..., infelizmente!
O Maranhão é um Estado pobre, muito pobre, muito pobre.. Chegam águas descendo nos olhos, quando a gente encara essa realidade...
É hora de mudança!...
Isso para, todavia, num grande problema... Quem vai mudar?
Não sei!

Por Hélcio Silva.
Enviado por Eri Santos Castro.
Compartilhe.

Nenhum comentário: