16 de dez de 2015

Mudança na prática 52: Missão de Singapura apresenta projetos para o Maranhão


O primeiro resultado da participação de uma comissão do Governo do Maranhão no Latin Asia Business Forum (LAB) em Singapura, no mês de outubro, deu-se nesta semana. Nesta terça-feira um grupo de representantes do governo e de empresas do país asiático esteve em São Luis para cumprir agenda no Porto do Itaqui e na vice-governadoria. O presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP) recebeu o grupo para uma rodada de apresentações e discussão de projetos e negócios entre o Maranhão e Singapura.

O grupo foi composto pela diretora do Grupo Américas da IE Singapore (com sede em São Paulo), Agência Comercial do Governo de Singapura, Lin Sufei, que veio acompanhada de seus gerentes de Desenvolvimento de Negócios, Eduardo Eiji Vargas Kuwabara e Joel Fernando Julius; e ainda por Sathyamurthy Mayilswamy, vice-presidente da regional sulamericana da OLAM, empresa que atua na área de agricommodities e vem prospectando oportunidades em diferentes regiões do Brasil; e por Raphael Chua Teck Lee, vice-presidente da Surbana Jurong, que atua no desenvolvimento de masterplanning econômico.

Também integraram a reunião de trabalho o secretário de Projetos Especiais do Governo do Maranhão, Felipe de Holanda, e seus assessores Vicente Anchieta Júnior e Joseane Moraes Costa; e o secretário adjunto de Estado de Desenvolvimento Sustentável, Pablo Zarthur Rebouças.

Hub logístico

A proposta desta visita, explicou Ted Lago, "é trazer empresas que são referência no setor portuário internacional e trocar experiências com o objetivo de investir no Maranhão, gerando empregos e desenvolvimento para o estado".

Segundo Lin Sufei, da IE Singapore, o encontro desta terça-feira foi uma resposta à visita feita pela comitiva maranhense em outubro e uma oportunidade de entender melhor os desafios e os planos do Maranhão por meio do Porto do Itaqui. "Trouxemos duas empresas especializadas em planejamento e agronegócios, com o objetivo de buscar oportunidades nessas áreas e também em educação e infraestrutura. Um exemplo é o setor de tratamento de água e esgotos, em que Singapura tem expertise. A ideia é empreender parcerias com empresas locais", disse.

As empresas que apresentaram propostas para o Maranhão partiram das semelhanças que existem entre São Luís e Singapura: ambas são ilhas com posição geográfica estratégica e servidas de porto e aeroporto. "Desse modo é possível se pensar em um hub logístico, reproduzindo-se aqui o modelo experimentado lá, com base em planejamento estratégico e desenvolvimento portuário e também turístico", afirmou.

Com essa visão de desenvolvimento é que Singapura saltou de uma renda per capita de 550 dólares para 58 mil dólares em 30 anos. O país está em 2º lugar entre os 10 países mais competitivos do mundo no ranking divulgado pelo Fórum Econômico Mundial neste ano, atrás da Suíça. Estudo do Banco Mundial aponta Singapura como o principal centro global para negócios, seguido de Nova Zelândia e Hong Kong.

Por Andréa Oliveira.
Enviado por Eri Santos Castro.
#Compartilhe

Nenhum comentário: