2 de set de 2015

Imperatriz: Vereador Aurélio propõe CPI da Saúde e garante “existe uma quadrilha no Socorrão”


Pedido foi feito com base em série de ações civis do Ministério Público contra gestores
  
Vereador Aurélio do PT
               Em sessão ordinária realizada nesta terça-feira (1), o vereador Aurélio (PT) destacou casos de denúncias do Ministério Público Federal (MPF/MA) contra gestores da saúde em Imperatriz, entre eles a secretária Conceição Madeira, o ex-secretário Mamede Vieira, o ex-diretor do Hospital Municipal de Imperatriz Clóvis Dias e o atual diretor Alisson Mota.
               De julho a agosto deste ano, três denúncias chamam a atenção pela gravidade. De acordo com o MPF/MA, dispensas de licitações em favor da Clínica Cirúrgica de Imperatriz LTDA, que tem como sócios ex-diretores do Socorrão geraram prejuízo de R$ 6.554.314, 84.
Nas últimas semanas, o Ministério Público bloqueou verbas para garantir cirurgia de um bebê, alegando histórico do município no descumprimento de determinações da Justiça e ingressou ainda com Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa por não fornecer medicamentos essenciais à população e descumprimento de acordo efetivado em 2013.
O órgão solicitou que a Justiça determine a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil de até 100 vezes o valor das remunerações dos agentes públicos envolvidos e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de três anos.
               “A saúde de Imperatriz pede socorro. Existe uma quadrilha dentro do Socorrão! Vamos propor uma CPI da Saúde na Câmara Municipal, pois as denúncias são claras e o caos também. No decorrer da semana vamos nos dedicar a coletar assinaturas dos vereadores, que não podem calar”, garante o vereador Aurélio. 

               Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) – É uma investigação conduzida pelo Poder Legislativo que transforma a própria casa parlamentar em comissão para ouvir depoimentos e tomar informações diretamente, quase sempre atendendo aos reclamos do povo. Para que seja instaurada, precisa das assinaturas de um terço dos parlamentares, no caso de Imperatriz, são necessárias no mínimo sete. 

Por Mariana Castro.
Enviado por Eri Santos Castro.
#Compartilhe.

Nenhum comentário: