1 de set de 2015

Paris celebra dia sem carros na rua, boa ideia pra São Luís

Por algumas horas, você elimina todos os automóveis da rua. Silencia as buzinas estressadas que saem de carros fechando o cruzamento, apaga toda a fumaceira escura que o caminhão vai soltando, deleta todo o congestionamento que já é corriqueiro naquele cenário e, de certa forma, já faz parte do dia-a-dia de quem passa por ali. Mais: você coloca pessoas no lugar desses carros. Andando, pedalandoNo dia 27 de setembro, Paris, na França, vai fazer toda essa descrição se tornar realidade.Nenhum carro (com exceção de ambulâncias e polícia) poderá circular por nove bairros da cidade (arrondissements), incluindo regiões de ícones turísticos como a Champs Élysés, a Torre Eiffel, a Place de la Bastille e a Place de la Republique.

Divulgação
Paris receberá mais uma edição do "Dia sem carro"
Vai ser o dia de “Paris sans Voiture” (Paris sem carros), que chega sendo parte da campanha que a prefeitura da cidade está fazendo contra a poluição, problema que já é encarado como central por lá. É que o uso desnecessário de automóveis contribui diretamente para o aquecimento global: você queima combustíveis fósseis e, consequentemente, destrói ainda mais a camada de ozônio. Isso sem falar na poluição sonora, no mal estar causado pelos congestionamentos e no estresse que isso gera.Tudo isso tem estado na agenda do governo parisiense.
Em março desse ano, por exemplo, a cidade se viu obrigada a implementar o terceiro rodízio de automóveis da sua história, impedindo carros com placas pares ou ímpares de circularem em determinados dias. Só ficaram fora dessa os veículos elétricos, híbridos, a gás ou que tiverem pelo menos três passageiros dentro. No ano passado, outra atitude com o intuito de estimular a reflexão foi tomada: o governo liberou transporte público gratuitopor três dias para todos.

Tudo isso vem na direção de pequenas atitudes que invadem e, mais do que mudanças imediatas, abrem espaço para sensações e experiências diferentes daquilo que estamos acostumados que, no fim, geram reflexão e conscientização. Continue lendo aqui.

, interagindo com a cidade. Lhes oferece a oportunidade de olhar - e não só ver: tem tanta coisa que todo dia está ali e passa despercebida no meio da correria e do cinza e do trânsito.
Com Catraca Livre.
Enviado por Eri Santos Castro.
Compartilhe.

Nenhum comentário: