23 de jul de 2015

Artigo de José Reinaldo sobre pacto com Sarney é mais que um despautério. É mea culpa e isenta ex-senador dos males de que sofre o Maranhão

O deputado federal José Reinaldo Tavares (PSB), como é sabido (e vocês podem ler no post abaixo deste), escreveu artigo no Jornal Pequeno, no qual conclama o governo Flávio Dino (PCdoB) a fazer um pacto com o ex-senador José Sarney (PMDB). Não se trata de um artigo meramente estranho e inesperado. José Reinaldo cometeu um paradoxo, que, como tal, e a depender do que poderá suscitar, dirá muito da antiga oposição ao sarneísmo, de Cafeteira e Flávio Dino.

O que logo salta aos olhos, é a afirmação de que para o Maranhão dar um salto de desenvolvimento dependa daquele dea quem a oposição sempre representar justo o contrário. Ou seja, ontem fez-se campanhas agressivas contra a presença de Sarney na política maranhense, por representar ele o motivo de todas as mazelas do Estado. Como, agora, o mesmo Sarney é a peça nuclear num pacto pelo Maranhão?
Cabe a pergunta: mudou Sarney ou a ex-oposição fez análises equivocadas sobre p Maranhão? Não consta que Sarney tenha feito mea culpa e tenha acenado com propostas capazes de tirar o Maranhão do atraso em que vive atolado. Além do mais, ao ver na figura de Sarney a possibilidade de um pacto pelo desenvolvimento do Maranhão, José Reinaldo Tavares está a dizer que os eleitores maranhense foram ludibriados com críticas infundadas ao sarneísmo.
De outra parte, o artigo de José Reinaldo põe o governador Flávio Dino numa sinuca de bico. Se topar a proposta, estará a assumir que não tem condições de governar o Maranhão sem o grupo Sarney. Pior: estará assinando um estelionato eleitoral, afinal se elegeu pela mudança e com duríssimas críticas a Sarney. Caso não leve em conta a proposta, o artigo de Tavares abre imensa brecha para os adversários de Dino (Sarney em particular) argumentarem que ele não põe de lado diferenças políticas em nome do Maranhão. O bíblico Jó tinha amigos assim, e eram chamados de amigos molestos.
Desde que o artigo foi publicado, o que tenho mais escutado: estaria Flávio Dino ciente do conteúdo antes da publicação?
José Reinaldo Tavares afirma que se trata de posição pessoal, e, até aqui, não temos razão para nos contrapor. Tenho a dizer que também corre subterraneamente que José Reinaldo Tavares estaria descontente com o andar do governo Dino. A ser verdade, o artigo ganha contornos de hostilidade. Por trás das palavras estaria a vontade de criar embaraço, no mínimo.
Por fim, estranha que o governo Flávio Dino, que a tudo rebate, e não raro com notas desnecessárias e despropositadas, tenha até aqui guardado silêncio.
Por Roberto Kenard, confira aqui!
Enviado  por Eri Santos Castro.
#compartilhe

Nenhum comentário: