22 de ago de 2014

“Precisamos mudar a política para mudar a escola”, diz Flávio Dino a estudantes na presença de Márcio Jardim


Flávio fala para milhares de estudantes na Associação do Filipinho
Estudantes de São Luís estiveram reunidos na tarde desta quinta-feira (21) em São Luís para apresentar “A Escola que queremos” aos candidatos a governador Flávio Dino e vice Carlos Brandão. O documento descreve a visão dos alunos do ensino médio da rede pública no Maranhão, as dificuldades atuais e os anseios com uma nova gestão estadual. O candidato a deputado federal Márcio Jardim ficou entusiasmado com o encontro, que já terá desdobramentos  para estas eleições.

Jaine Santos, presidente do Grêmio Estudantil do IFMA do Centro Histórico e representante da UBES no Maranhão, fez um relato das escolas do Estado. Ela defende um novo modelo que respeite os estudantes para atrair a juventude e incentivar a permanência em sala de aula. 

“As escolas não atraem os estudantes. Não é à toa que o Maranhão tem um dos maiores índices de evasão escolar. A educação dada hoje é a mesma de 50 anos atrás e a cabeça do jovem, do estudante, mudou ao longo do tempo. A gente espera que o Flávio ouça os estudantes, que nos apoie, faça nossas reivindicações virarem realidade e que ele seja presente na nossa luta da escola que queremos”, avaliou Jaine, acrescentando que o modelo atual não representa o desejo dos jovens. 

Luta por todas as escolas
Para Nelio Lobato, presidente do Grêmio do Cintra, a maior dificuldade é organizar a escola politicamente e ter uma representação do movimento estudantil, para pedir por melhorias nas escolas. “Eu não luto apenas pela minha escola, luto por todas as escolas e, mesmo com todas as perseguições, vou continuar lutando. A gente só pode cobrar se estiver organizado. Então, o que espero é eleição democrática para diretor e poder livre para organização dos grêmios estudantis”, relatou o jovem de 19 anos. 
Emocionado com o discurso do filho, Paulo José Azevedo disse que tem orgulho de acompanhar a luta de Nélio. “Ele está lutando pelas ideias em que ele acredita, pelo Maranhão, por escolas melhores”, destacou.

Ele disse também que o modelo educacional do Estado precisa ser revitalizado. “Por isso estamos com Flávio Dino, porque ele é a esperança para ter uma nova escola. Sem escola de qualidade, a juventude não tem oportunidade, vai para as drogas, com uma educação de qualidade, a realidade vai ser outra”, afirmou. 

A escola que queremos
No início da programação, os estudantes exibiram um vídeo com o “Dossiê da Educação Maranhão”, mostrando a realidade das escolas maranhenses. Falta de infraestrutura, ausência de professores e atividades que não envolvem os alunos fazem parte do diagnóstico.

A carta com a descrição da “Escola que queremos”, entregue aos candidatos, apontou as principais expectativas dos alunos. Entre elas, formação continuada aos professores e funcionários da rede de ensino, criação de escolas em tempo integral, melhoria das salas de aula, banheiros, construção de quadras poliesportivas, laboratórios de ciências e informáticas e uma gestão democrática.

De Flávio Dino, os alunos ouviram o compromisso de dar oportunidade para a juventude ter acesso a uma educação pública e de qualidade. Ele reiterou a importância do momento político para a mudança da história do Maranhão. Identificado com o ambiente escolar, por ser professor há 20 anos e também por ter histórico da militância estudantil, Flávio afirmou que dará a importância devida para a educação.

“Precisamos mudar a política para mudar a escola. Um Maranhão diferente, justo e honesto é possível. Esse é o caminho que a gente precisa. Com a força da juventude, o Maranhão será de todos nós”, disse. Lembrando que o primeiro cargo que disputou na vida foi o de presidente de grêmio, destacou que sempre esteve ao lado das lutas sociais. 

“Por isso, sei a importância da democracia nas escolas. Vocês serão ouvidos.” Flávio Dino defendeu também a implantação dos espaços de convivência nas escolas, espaços esportivos e culturais.

Nenhum comentário: