11 de ago de 2014

Babilônia em chamas: Coordenador da campanha, Joaquim Haickel adimite retirar apoio a Edinho Lobão

Só falta a polícia apresentar alguém ligado a Flávio Dino como suspeito de ter divulgado os fakes sobre a morte de seu filho, já que o governo que apóia Edinho detém o poder de polícia no Maranhão.

Por JM Cunha Santos

Deputado Joaquim Haickel
O uso da morte do filho de Flávio Dino como arma suja de uma campanha política indecente está ganhando repercussão internacional, conforme o blog foi informado ainda há pouco e, numa tentativa de justificar o injustificável, o próprio coordenador da campanha de Edinho Lobão, Joaquim Haickel, disse ao blog do Jhon Cutrim que se for verdade, Edinho perderá o seu apoio, o que só indica que depois dessa ação vil, nojenta, imoral e criminosa estão preparando alguma desculpa esfarrapada ou atrás de algum bode expiatório.


Não justifica. Não é a primeira vez que pessoas ligadas a esse grupo político usam a morte do garoto Marcelo na tentativa de desestabilizar emocionalmente o pai, provavelmente na tentativa de que cometa alguma asneira que prejudique sua candidatura. Joaquim Haickel chega a sugerir que deve ser alguém sem ligação nem com Edinho Lobão, nem com Flávio Dino querendo ver o mar pegar fogo para comer peixe assado.


O comportamento das lideranças políticas em torno da candidatura de Edinho Lobão, no entanto, indicam o contrário. O senador João Alberto chegou a chamar o candidato da oposição de Satanás publicamente e o próprio Edinho ofereceu dinheiro num programa da Rádio Mirante para quem denunciasse Flávio Dino. É a campanha mais baixa levada ao ar por um governo neste país e, embora a governadora Roseana Sarney possa não ter culpa nenhuma por esse fato, comete um grave crime de omissão ao permitir que o nome de seu governo seja usado de uma forma que agride a decência política, a decência social e, principalmente, a decência humana.


Não venham com desculpas esfarrapadas. Um corpo só se move na direção que a cabeça quer.


Na carta encaminhada a Jhon Cutrim diz Joaquim Haickel: “Se Lobão Filho fez isso ou consentiu que alguém fizesse em seu nome, ele terá perdido totalmente a moral para se candidatar ao governo do nosso Estado. Se ele fez isso, terá perdido o meu apoio. Mas se ficar provado que foi uma armação de alguém para prejudicar a imagem de Lobão Filho, para prejudicar sua campanha, se ficar provado que isso é coisa de alguém ligado a Flávio Dino, será ele que perderá a moral nessa campanha”


Depois dessa e diante da onda de indignação que varre o país inteiro, só falta a polícia apresentar alguém ligado a Flávio Dino como suspeito do crime, já que o governo que apóia Edinho detém o poder de polícia no Maranhão.


Não tem armação nenhuma. Como diz John Cutrim, “os fakes na internet que sordidamente fazem referência à morte trágica do filho de Flávio, Marcelo, ocorrida em 2012, vítima de erro médico no Hospital Santa Lúcia, em Brasília, são os mesmos utilizados para fazer campanha e espalhar mensagens sobre o candidato Edinho Lobão com a hastag PrafrenteMaranhão.

O problema é que já desceram tanto no nível de decência que não esperavam que, nesse caso, a indignação do povo maranhense chegasse ao ponto que chegou e só agora estão vendo que não tem mais por onde se sujar.

Nenhum comentário: