1 de jul de 2014

Entenda o porque da proibição expressa do PT Nacional para que o partido no MA não indicasse o vice de Edinho



Parte do PT local insistia até ontem (30) para que o partido indicasse o vice na chapa do candidato da oligarquia. O fato é que o partido mesmo que quisesse não pode fazer isso. Tanto no Amapá quanto no Maranhão há uma enorme fadiga e rejeição ao grupo liderado pelo senador Sarney. Por se tratar de populações muito pobres, os programas sociais do governo tem um papel importante nessas economias locais. 

Portanto, no fator eleitoral o desempenho do PT com Lula e Dilma é espetacular. Quem tem voto nestes rincões do Brasil é a dupla Lula-Dilma. Enquanto que no Brasil Dilma pontue 35 a 40%, nessas regiões ela vai de aproximadamente 60%.

O x da questão é a  perda de 3 a 4 pontos percentuais no Brasil todo quando da associação do nome da presidenta Dilma ao nome do senador Sarney. Isso representa de 6 a 8 milhões de votos. Por isso, tanto o senador Sarney quanto a sua filha Roseana Sarney aposentaram-se, um com 82 e a outra com 60 anos, e não serão candidatos nestas eleições de 2014.

No Amapá, onde há um PT forte e unificado, não haverá nem coligação com os partidos do grupo Sarney. Já no Maranhão, com um PT fraco e subserviente à oligarquia, pelo menos o tempo de televisão e os poucos votos servirão para eleger candidaturas de fora do partido. Na verdade, a Direção Nacional do PT quer construir um 'Novo Partido' a partir destas eleições. Podem anotar aí. Além disso tudo há dois fatores para que o PT não participe da chapa do Lobão: Dilma e Luriam Lula da Silva. Depois comento sobre esses fatores.

Veja a nota curta e grossa da Direção Nacional sobre a tática eleitoral do Maranhão:


20140630-072347.jpg

Nenhum comentário: