2 de mar de 2014

Pedrinhas: mais um detento é condenado à pena de morte e é executado com a conivência do Estado

Um detento foi encontrado morto na tarde deste sábado (1º) no Centro de Detenção Provisória do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, segundo a Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária do Maranhão (Sejap).
O preso fo identificado como Pedro Elias Martins Viegas, de 31 anos. Ele era conhecido como Jacaré e integrava uma facção criminosa da capital maranhense. Segundo a secretaria, o detento já tinha sido preso três vezes por envolvimento com tráfico de drogas e formação de quadrilha.
De acordo com a perícia do Instituto de Criminalística (Icrim), o corpo foi encontrado no canto de uma das celas do CDP, sentado em cima de um balde com marcas de esganadura no pescoço. A perícia suspeita que a vítima estava sedada e foi enforcada com um fio, mas reitera que somente a autópsia pode confirmar as hipóteses.
Segundo informações da Polícia Militar, Jacaré e mais três presos foram transferidos do Centro de Triagem para o Centro de Detenção Provisória da penitenciária na tarde de sexta-feira (28). Os integrantes da facção rival à do grupo conseguiram capturar Jacaré por volta de 20h e o mantiveram refém até a tarde deste sábado (1º), quando o detento foi executado.
A secretaria informou, por meio de nota, que o caso já está sendo investigado pela Polícia Civil e que o trabalho de perícia foi realizado pelo Icrim. 
Leia a íntegra da nota da Sejap abaixo:
A Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap) informa que a Polícia Civil já está investigando a morte do detento Pedro Elias Martins Viegas, de 31 anos, que foi encontrado morto por enforcamento, neste sábado (1º), no Centro de Detenção Provisória (CDP) do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís.
Neste momento, o trabalho de perícia está sendo finalizado pelo Instituto de Criminalística (Icrim-MA).
Pedro Elias Martins Viegas cumpria pena por tráfico de drogas.
Do G1-Maranhão, confira aqui!
Enviado por Eri Santos Castro.
Compartilhe.

Nenhum comentário: