17 de dez de 2013

Os melhores livros de 2013 segundo os prêmios

Lista da Fundação Biblioteca Nacional é anunciada oficialmente; confira os vencedores dos principais concursos literários


Com exceção de Moscovich, premiada também com o Portugal Telecom (R$ 50 mil), não houve unanimidade nas escolhas dos jurados dos principais prêmios do País.
Para o Jabuti (R$ 3.500), o melhor romance foi O Mendigo Que Sabia de Cor os Adágios de Erasmo de Rotterdam, de Evandro Affonso Ferreira. Para o Portugal Telecom (R$ 100 mil, incluindo o grande prêmio do ano), foi O Sonâmbulo Amador, de José Luiz Passos. Já o júri do Prêmio São Paulo (R$ 200 mil) elegeu Barba Ensopada de Sangue, de Daniel Galera, que tinha ficado com o 3.º lugar do Jabuti. E o Passo Fundo Zaffari & Bourbon escolheu Infâmia, de Ana Maria Machado.
Entre os poetas premiados este ano estão Ademir Assunção, que ganhou o Jabuti por A Voz do Ventríloquo, e Eucanaã Ferraz, cujo Sentimental foi o melhor de sua categoria no Portugal Telecom (R$ 50 mil).
Cintia Moscovich ganhou, então, o Portugal Telecom (R$ 50 mil) e o da FBN (R$ 12.500) na categoria conto. E Luis Fernando Verissimo, cronista do Caderno 2, ficou com o Jabuti.
A Academia Brasileira de Letras também reconheceu escritores e pesquisadores. Seu grande prêmio, o Machado de Assis, no valor de R$ 100 mil, foi dedicado ao crítico e escritor Silviano Santiago. Entre os outros ficcionistas homenageados com prêmios de R$ 50 mil estão Antonio Cicero (poesia), Lya Luft (ficção, romance, teatro e conto) e Luiz R. Machado (infantojuvenil).
Outro reconhecido pelo conjunto da obra, mas desta vez pelo Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura, foi Ferreira Gullar, que ganhou R$ 120 mil. Há, ainda, o reconhecimento de obras inéditas de ficção (R$ 25 mil) e os vencedores foram Nilton Cezar Tridapalli (romance) e Rogério Luz (poesia).
Já o júri do Paraná de Literatura, que também escolhe a melhor entre as obras inéditas inscritas, premiou o romance Meu Primeiro Morto, de Jaci Palma (SP), os contos deEnsaio Sobre o Entendimento Humano, de Caetano Galindo, e os poemas de Fábulas para Adulto Perder o Sono, de Adriane Garcia. Cada autor receberá R$ 40 mil e terá a obra editada pela Biblioteca Pública do Paraná.
O Prêmio Sesc, para autores inéditos, ficou com O Evangelho Segundo Hitler, de Marcos Peres, na categoria romance, e Noveleletas, de João Vereza, em contos.
Do Estadão.
Enviado por Eri Santos Castro.
Compartilhe.

Nenhum comentário: