5 de ago de 2014

O conceito de felicidade na Kabbalah

Muitas e muitas vezes, é-nos dito que as pessoas felizes têm menos probabilidade de ficarem doentes. A ciência diz que o sistema imunitário é tudo e parte do que o que o torna forte é a felicidade e o equilíbrio.

As pessoas felizes estão satisfeitas com quem são e onde estão porque estão conectadas ao amor infinito que existe nelas e são capazes de partilhar este amor com outros.

A infelicidade, por outro lado, está inexplicavelmente ligada à inveja, que cria separação e deixa um espaço vazio. Quando ficamos invejosos, estamos constantemente a procurar algo que não temos. De cada vez que o fazemos, contudo, perfuramos a nossa "camada de ozono" pessoal, e quando há buracos suficientes, acabamos com a desarmonia no nosso corpo, mente e espírito.

Será que isto significa que para se ser espiritual nunca devemos ser invejosos ou infelizes com a nossa situação de vida? Claro que não. Vamos todos encontrar e ser envolvidos por negatividade. É um dado. De outra forma seríamos anjos e não seres humanos.

O que é importante, contudo, é o que fazemos com os nossos pensamentos. Deixamos que nos controlem? Ou estamos dispostos a desafiá-los e dizer, "Mesmo que estes pensamentos e sentimentos estejam a crescer dentro de mim, recuso-me a ouvi-los. Eu quero ver a Luz que sei que existe em todas as pessoas. O meu desejo de conectar com o Criador é maior que o meu desejo de ter o que quero desta situação."

Enquanto parece que vivemos num mundo de carência e limitação, existe ao mesmo tempo dentro de nós uma faísca do Criador. Se conseguirmos tocar nesta faísca perfeita com as ferramentas espirituais tais como oração, meditação e partilha, então podemos conectar com a harmonia que está em toda a criação.

Nenhum comentário: