27 de dez de 2013

Babilônia em chamas: Dilma demite Geddel Vieira Lima da Caixa e autonomia do PT frente ao PMDB aumenta ainda mais

Após cobrança pública, Dilma exonera vice-presidente da Caixa


O vice-presidente de pessoa jurídica da Caixa Econômica Federal, Geddel Vieira Lima (PMDB), foi exonerado pela presidente Dilma Rousseff. O decreto foi publicado na edição desta sexta-feira (27) no "Diário Oficial" da União.

Ontem, Geddel fez um apelo direto pelo Twitter à presidente para que fosse publicado seu pedido de exoneração. "Cara Presidenta Dilma, por gentileza, determine publicação minha exoneração função q ocupo, e cujo pedido ja se encontra nas mãos de V Excia (sic)".


O episódio causou constrangimento ao Planalto, mas mais ainda ao vice de Dilma, Michel Temer (PMDB), padrinho de Geddel no governo. A presidente ficou irritada com a cobrança, pois aguardava sinal de Temer para executar a demissão.

Ele teria recebido carta de Geddel sobre a demissão há alguns meses, mas só em dezembro mostrou-a a Dilma. Para o Planalto, a cúpula peemedebista não teve controle do processo político num Estado relevante nem poder sobre um filiado, o que enfraquece Temer e o PMDB em negociações locais com o PT.

cargo de vice-presidente da Caixa Econômica é de confiança, o que faz com que a exoneração dependa exclusivamente de um despacho da presidente da República. Geddel deve enfrentar o PT em 2014 na disputa pelo governo da Bahia.
Sérgio Lima - 13.jan.2010/Folhapress
Geddel Vieira Lima é exonerado da vice-presidência da Caixa
Geddel Vieira Lima é exonerado da vice-presidência da Caixa

OPOSIÇÃO
Um dos aliados mais próximos ao vice-presidente Michel Temer (PMDB), Geddel foi ministro da Integração Nacional do governo Lula entre 2007 e 2010, quando deixou o cargo para disputar o governo da Bahia pela primeira vez.

Enfrentou nas urnas o governador Jaques Wagner (PT), que acabou sendo reeleito no primeiro turno. Na ocasião, apoiou a eleição da presidente Dilma Rousseff -só que Dilma e o então presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, apoiaram abertamente o candidato petista ao governo baiano.

Em 2012, Geddel aliou-se localmente ao prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), sendo peça fundamental para a vitória dele no segundo turno das eleições para a prefeitura.

Desde então, o peemdebista negocia com DEM e PSDB a formação de uma chapa única para enfrentar Rui Costa (PT), candidato ao governo de Jaques Wagner. O peemedebista também admite que deverá apoiar um dos candidatos da oposição à Presidência.

Saiu na Folha.
Enviado por Eri Santos Castro.
Compartilhe.

Nenhum comentário: