1 de fev de 2016

Depois de 50 anos: o filho e o neto

Com Francisco Gonçalves.

50 anos depois, apenas duas lideranças políticas parabenizaram Sarney no caderno especial publicado pelo jornal O Estado Maranhão, neste domingo: o filho e o neto. Depois de quase 50 anos no controle do governo estadual, a família Sarney deixou um legado representativo da perversidade das elites: desenvolvimento predatório e concentração de renda. Ao final do quarto mandato de Roseana Sarney, o Maranhão reunia os piores indicadores de desenvolvimento humano do país. Contrariado pelas críticas, Sarney chegou a contestar o indicador de renda familiar e a defender o PIB como único critério válido de aferição de desenvolvimento, sem levar em conta a distribuição de renda e a qualidade de vida das pessoas. Ao longo das últimas cinco décadas, o Maranhão viveu o ciclo de concentração de renda e poder, o que levou a maioria dos maranhenses, em 2014, a mandar um recado: era hora de acabar governo de pai para filha, de filho para neto.

Nenhum comentário: