9 de dez de 2014

Unicef Apresenta dados sobre a Infância e a Juventude do Maranhão e da Amazônia


Na última semana, 4/12, no auditório do Hotel Grand São Luís, em São Luís, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) Apresentou dados relativos a situação da criança e do adolescente na Amazônia incluindo o Estado do Maranhão.

A apresentação do material no Maranhão foi uma avaliação das ações que vem sendo realizadas nos estados da Região Amazônica (maranhão incluso). Os dados foram apresentados para grupos de jornalistas maranhenses, para que conheçam ainda mais a realidades destes estados em números, no que se refere a situação da infância e da adolescência.

Os dados são resultados dos últimos 2 anos (2013 – 2014) dos programas Selo Unicef Município Aprovado, Plataforma dos Centros Urbanos e do Programa Aprender do UNICEF.

Alguns dados importantes apresentados durante o evento:

*Taxa de mortalidade infantil na região Amazônica é superior à média nacional em 24.2 por mil habitantes  (no Brasil é 16/1000); mais de 18% dos adolescentes (15 a 17 anos), ainda estão fora da escola. 

*A fraca presença do Estado em muitas região, tais como fronteiras, municípios isolados e onde atualmente acontecem as grandes obras, estão levando a um aumento considerável da exploração sexual infanto-juvenil;

*Foi a única região em que os indicadores do trabalho infantil apresentaram piora expressiva com mais de 489 mil  crianças e adolescentes com idade entre 5 a 17 anos trabalhando (aumento nos Estados do Acre, Amazonas, Roraima, Pará e Tocantins).

No Brasil, 3,8 milhões  de crianças e adolescentes de 4 a 17 anos estão fora da escola no Brasil. Fonte: Censo 2010.

*No Brasil, 8,8  milhões  de alunos do ensino fundamental estão em risco de exclusão por causa do atraso escolar. Fonte: Censo 2010.

No Maranhão, o nível de aprendizado em Português no 5º Ano é de 15%. A média brasileira é de 37%. Apenas 4% dos estudantes maranhenses apresentam aprendizagem adequada no 9º ano em Matemática. A média brasileira é de 12%. Fonte: Prova Brasil 2011. INEP. 

Taxa de Distorção Idade-Série, no Ensino Fundamental de 8 ou 9 anos, em 2010 é de 30,5% no Maranhão e de 23,6% no Brasil. No Ensino Médio essa taxa alcança  48,3% no Maranhão, enquanto o Brasil possui 34,5%.   Fonte: Mec/Inep/Deed

Espera-se que a cobertura sistemática desses dados permita a elaboração de políticas públicas específicas para a infância e juventude a fim de respeitarmos ainda mais os direitos deste importante grupo social.


Por Michelle Franco- UNICEF Communications Advisor.
Enviado por Eri Santos Cstro.
Compartilhe.

Nenhum comentário: